Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Paper Of The Day

Publicado: Quarta, 30 de Novembro de 2022, 17h57 | Última atualização em Quarta, 30 de Novembro de 2022, 17h57 | Acessos: 32

COVID-19 MORTALITY UNDERREPORTING IN BRAZIL: ANALYSIS OF DATA FROM GOVERNMENT INTERNET PORTALS

 

Veiga e Silva L., de Andrade Abi Harb M.D.P., Teixeira Barbosa dos Santos A.M., de Mattos Teixeira C.A., Macedo Gomes V.H., Silva Cardoso E.H., S. da Silva M., Vijaykumar N.L., Venâncio Carvalho S., Ponce de Leon Ferreira de Carvalho A., Lisboa Frances C.R., "COVID-19 Mortality Underreporting in Brazil: Analysis of Data From Government Internet Portals", J Med Internet Res vol. 22(8), 2020, pp. e21413, doi: 10.2196/21413.



Autores:

Lena Veiga e Silva, Maria Da Penha de Andrade Abi, Aurea Milene Teixeira Barbosa Dos Santos, Carlos André de Mattos Teixeira, Vitor Hugo Macedo Gomes, Evelin Helena Silva Cardoso, Marcelino S. da Silva, N. L. Vijaykumar, Solon Venâncio Carvalho, Carlos Renato Lisboa Frances.

 

Resumo:

Contexto: No Brasil, um número substancial de casos e mortes por doença de coronavírus (COVID-19) tem sido relatado. O país tornou-se o segundo mais afetado mundialmente, em 9 de junho de 2020. Fontes oficiais do governo brasileiro apresentam dados contraditórios sobre o impacto da doença; consequentemente, é possível que o atual número de óbitos e indivíduos infectados no Brasil seja bem maior do que os oficialmente reportados.

Objetivo: Este estudo investiga a subnotificação de casos e óbitos relacionados à COVID-19 nas cidades mais afetadas do Brasil, baseado em dados públicos disponíveis nos portais oficiais do governo brasileiro na internet, a fim de identificar o real/atual impacto da pandemia.  

Métodos: Usamos dados do histórico de mortes por problemas respiratórios e outras causas naturais a partir de dois portais públicos: DATASUS (Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde) (2010-2018) e o Portal de Transparência do Registro Civil (2019-2020). Estes dados foram utilizados para construir modelos de séries temporais (regressões modulares) a fim de prever os padrões esperados de mortalidade para 2020. As previsões foram utilizadas para estimar os possíveis números de mortes registrados incorretamente durante a pandemia e divulgados em portais de internet do governo das cidades mais afetadas no país.

Resultados: Nosso modelo encontrou uma diferença significativa entre os valores reais, e os esperados. O número de mortes devido à síndrome respiratória aguda grave (SARS) foi consideravelmente maior em todas as cidades, com aumentos entre 493% e 5820%. Este aumento súbito pode estar associado a erros na notificação. Estima-se uma subnotificação média de 40.68% (intervalo de 25.9% a 62.7%) para mortes relacionadas ao COVID-19.    

Conclusões: As taxas significativas de subnotificação de óbitos analisadas em nosso estudo demonstraram que os números oficialmente lançados são muito inferiores aos números reais, tornando impossível às autoridades implementar uma resposta mais eficaz à pandemia. Com base nas análises feitas com diferentes taxas de letalidade, pode-se inferir que a epidemia no Brasil está piorando, e o número real de infectados já pode estar entre 1 a 5.4 milhões.

 

Link: https://www.jmir.org/2020/8/e21413 

 

#ufpa #icen #ppgcc #computação #Brazil #COVID-19 #publichealth #timeseries #forecasting

Fim do conteúdo da página